Pôster do filme “Criação” (Creation) - baseado no livro “Annie’s Box”, escrito por Randal Reynes, tataraneto de Charles Darwin, o criador da teoria da evolução.

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

ilha das flores completo

domingo, 30 de dezembro de 2012

Criação Marcelo Gleiser

Criação Ninguém testemunhou o que estava para acontecer. O "tempo" não existia: A realidade existia fora do tempo, pura permanência. O espaço não existia. A distância entre dois pontos era imensurável. Os pontos podiam estar aqui ou ali, suspensos, saltitantes. Entrelaçado em si próprio, o espaço aprisionava o infinito. de repente, um tremor; uma vibração, uma ordem que nascia. O espaço pulsava, ondulando sobre o nada. O que era perto se afastou. O agora virou passado. O espaço nasceu com o tempo. Ao falarmos em espaço, pensamos em conteúdo. Ao falarmos em tempo, pensamos em transformação. E assim foi. o espaço borbulhou; o tempo incerto, iniciou sua marcha. Da agitação conjunta do espaço e do tempo surgiu a matéria, expelida de seus poros. Mas atenção! Essa não era uma matéria ordinária feito a nossa. Ela fez o espaço crescer, inflar como um balão Esse balão é o nosso universo. Marcelo Gleiser

Mutação genética “açucarada” pode ter levado a evolução humana moderna

Segundo uma nova pesquisa, uma mutação genética, possivelmente ligada à resistência à malária, pode ter ajudado a impulsionar a evolução do gênero Homo, o ancestral dos humanos antigos. A mutação afetou um tipo de molécula de açúcar, Neu5Gc, produzida pelos hominídeos primitivos, os primeiros grandes símios (macacos). Cerca de 2 milhões ou 3 milhões de anos atrás, conforme nossos ancestrais Homo ergaster e Homo erectus surgiram na África, uma mutação genética interrompeu a produção dessa molécula, e o sistema imunológico pré-humano começou a reconhecê-la como uma ameaça. Como resultado, alguns hominídeos já não teriam sido capazes de acasalar e produzir descendentes com outras populações, potencialmente separando os primeiros seres humanos de outros primatas. “Com o tempo, esta incompatibilidade reduziria e eliminaria os indivíduos com Neu5Gc”, concluiu o pesquisador Pascal Gagneux da Universidade da Califórnia, EUA. As células se comunicam com outras células usando moléculas de açúcar que ligam as laterais de suas membranas. Um tipo de molécula de açúcar é o ácido siálico, que é encontrado em todas as células animais. Até cerca de 3 milhões de anos atrás, os ancestrais comuns de humanos e outros primatas compartilhavam Neu5Gc, um tipo de ácido siálico; então, algo mudou. Uma mutação genética parou a produção de Neu5Gc em ancestrais humanos, possivelmente porque esta mutação ajudou a evitar um tipo de malária que infecta os chimpanzés até hoje. Em vez disso, os ancestrais humanos com a mutação criaram uma versão diferente do ácido siálico, Neu5Ac. Aqui é onde o sistema imunológico entra em ação: o corpo do ancestral humano começou a ver o Neu5Gc como uma ameaça, e criou uma resposta imune contra ele. Essa resposta teria um grande efeito sobre a reprodução humana no passado. Os pesquisadores testaram a ideia expondo esperma de chimpanzé com Neu5Gc a anticorpos humanos para a molécula. Com certeza, os anticorpos mataram o esperma de chimpanzé. Em outras palavras, uma pequena mudança em uma pequena molécula poderia ter ajudado as populações antigas a se divergirem umas das outras, pois só ancestrais Neu5Ac positivo poderiam acasalar com outros Neu5Ac positivo , e os ancestrais humanos sem a mutação eram incapazes de produzir uma prole maior.[LiveScience] . http://hypescience.com/mutacao-genetica-%E2%80%9Cacucarada%E2%80%9D-pode-ter-levado-a-evolucao-humana-moderna/

sábado, 29 de dezembro de 2012

Porque sou ateu !!!

Filha é expulsa de casa por questionar sua igreja

sábado, 22 de dezembro de 2012

Culto ecumênico

Minha filha caçula está se formando em medicina essa semana e ontem teve um culto ecumênico numa igreja daqui que foi comandado por um padre, um espírita e um pastor evangélico. O pastor começou dizendo que ele era também acadêmico de medicina, era um cara novo, bonito, inteligente e que falava muito bem. Começou a interpretar um versículo da gibíblia que dizia que sem deus não haveria cura e que os médicos eram apenas instrumentos na mão de deus. Nessa ladainha se saiu com a pérola de que os cientistas acreditavam somente em energia física, depois passaram a acreditar em energia mental e hoje acreditam em energia espiritual. No final de cada frase dizia amém, como um mantra e algumas pessoas respondiam, tinham alguns crentes na igreja. O espírita começou bem, falando da importância dos pais na formação dos filhos, do trabalho e da dificuldade que os pais devem ter enfrentado para que os filhos chegassem até ali, eu até estava gostando do discurso mas no final disse que a espiritualidade hoje já está provada pela ciência e citou alguns autores e um livro de uma mulher que dizia que a espiritualidade existia e que foi provada através da física quântica. É a velha ladainha de que a a física quântica provou que a espiritualidade é real, tentando dar um toque de científico nas suas crenças em espíritos. O padre foi o que falou menos merda, não tentou usar a ciência para justificar as suas crenças e fez um discurso comum de padre, falando em deus e na importância do médico em recorrer a deus nos seus momentos de dificuldades e de necessidade de ajuda. Minha filha mais velha que já é médica estava assistindo e a cada vez que eles falavam em energia espiritual ela torcia o nariz e olhava para mim indignada e impaciente. Isso para mim foi o melhor de tudo do culto. Eu nunca fiz lavagem cerebral nas minhas filhas, minha mulher é católica e também nunca fez mas eu nunca perguntei se ela era ateia ou não, acho que não faz sentido perguntar isso. Ela casou recentemente e teve uma cerimonia religiosa na igreja mas depois ela me disse que não tinha religião, que queria casar na igreja pela beleza do ritual e da comemoração. Eu senti a pressão das religiões em cima desses médicos recém formados, é realmente muito difícil ir contra essa corrente religiosa que a tudo domina e controla, acho que a única saída é os pais mesmos se conscientizarem disso e não meterem merdas na cabeça dos filhos pois a escola repete o sistema de crenças, por isso que é tão difícil se tornar ateu. Eu tive sorte de ter tido um pai ateu, acho que fui um privilegiado, desde novinho eu já questionava e discutia sobre religião, tinha bons argumentos e boas perguntas, debochava muito, era muito sarcástico e me negava a assistir as aulas de religião na escola e quando assistia questionava e criticava tudo o que os padres diziam, eu era terrível. Tenho o prazer de ver que minhas filhas não seguem nenhuma religião, acho que nem acreditam em deus e que isso vai ser muito bom para a vida delas, viver sem deus é o melhor que pode acontecer para um ser humano.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

A Eva da era da informática, kkkkk

Primos irmãos

Somos poeira das estrelas

Astronomiaqui “Nós somos feitos de matéria estelar” Era assim que Carl Sagan resumia o fato de que os átomos de carbono, nitrogênio e oxigênio em nossos corpos, assim como os átomos de todos os outros elementos pesados, foram criados em gerações anteriores de estrelas. Durante a maior parte de suas vidas as estrelas geram energia fundindo hidrogênio em hélio, mas quando estão prestes a chegar ao seu fim passam a gerar energia produzindo elementos como carbono, oxigênio, nitrogênio e ferro. As estrelas massivas morrem em explosões titânicas, (supernovas), nas quais espalham esses elementos pesados no espaço, que se misturam ao gás e poeira existentes nas galáxias para serem incorporados na geração de novos sistemas estelares. Quando nosso sistema solar se formou, há 4,5 bilhões de anos, esse processo de reciclamento do gás interestelar já vinha ocorrendo há muito tempo. A nebulosa que deu origem ao nosso sistema solar, embora sendo 98% hidrogênio e hélio, já tinha 2% de todos os outros elementos químicos, que permitiram a formação dos planetas rochosos, como a Terra, e dos próprios seres vivos, há mais ou menos 3,5 bilhões de anos. Todo o material de que nós somos feitos (exceto hidrogênio e parte do hélio) foram manufaturados nas estrelas que morreram antes do sistema solar se formar. Fonte: ufrgs Por: Yasmin

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Sou Ateu Porque Preciso

Sou Ateu Porque Preciso Confesso: eu acredito viver no melhor universo possível!!! Não suportaria existir em um universo regido por uma força divina, misteriosa e caprichosa. Não suportaria saber que minha alma viverá eternamente, em eterno prazer ou sofrimento, baseado no que fiz ou deixei de fazer nesses poucos anos terrenos e com base em critérios inescrutáveis. Não suportaria saber que vou seguir nascendo e renascendo, quase que infinitamente, mas sem lembrar de nada! Se existe deus, então a vida não tem nenhum sentido. Quem tem sentido é deus e o nosso sentido provém dele. Não somos mais do que suas cobaias, manipulados daqui pra lá, correndo como hamsters naquelas rodinhas, ignorantes de seus verdadeiros propósitos. Ao seu bel-prazer, somos mortos, escravizados, santificados, até mesmo afogados em massa, quando falha o experimento. Se existe deus, então todos os esforços da humanidade para se entender e se auto-gerir, toda a ciência e toda a filosofia, de nada valem. Se existe deus, então não existe ética ou moralidade: somente adequação ou não às regras impostas pela divindade. Se existe deus e temos o livre-arbítrio, então o arbítrio de livre não tem nada, é uma dádiva da qual só desfrutamos porque nos foi concedida e pode ser tirada tão facilmente quanto. Já disseram que, se deus não existe, então tudo é permitido. Mas se deus existe, por outro lado, então não vale a pena fazer nada, pois nada faz sentido.

domingo, 16 de dezembro de 2012

BBC O Que Darwin Não Sabia (2009)

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Meus parentes

Saúde de Chávez leva o ateu José Mujica à igreja

A precária saúde do presidente venezuelano Hugo Chávez conseguiu nesta quinta-feira o que muitos uruguaios consideram um milagre: levar o presidente de seu país, José Mujica, ateu convicto, à missa para pedir a recuperação do líder caribenho. Perante o olhar atento da imprensa do país sul-americano, considerado o mais laico do continente e onde a separação entre Igreja e Estado é cumprida com todo rigor, o veterano Mujica, um ex-guerrilheiro de 77 anos pouco dado a cerimônias e protocolos, se apresentou na igreja dos Franciscanos Conventuais de Montevidéu para acompanhar as orações pela saúde de Chávez. O templo estava lotado e junto aos paroquianos frequentes surpreendeu também a presença da esposa de Mujica, a senadora Lucía Topolansky, e dos ministros das Relações Exteriores, Luis Almagro, e do Trabalho, Eduardo Brenta. Mujica acompanhou a cerimônia atentamente do primeiro banco junto com o embaixador venezuelano no Uruguai, Julio Chirinos, e chegou até mesmo a benzer-se enquanto o padre oficiava a missa. "Estou ficando velho e não sei se estou me aproximando de Deus ou não. Não sou crente. Dentro do meu coração ainda não posso ou não sei crer. Mas eu sei que Chávez acredita. Não encontrei outra opção que fazer uma coisa destas para praticar um pouco de solidariedade em um momento difícil para ele", se justificou na saída da cerimônia. Mujica, que esteve 14 anos na prisão, a maioria durante a ditadura (1973-1985) por sua militância, indicou que, assim que os médicos lhe derem sinal verde, tem intenção de ir a Cuba, onde Chávez está se recuperando de uma operação, para visitá-lo "e dar-lhe um abraço". O governante venezuelano foi operado na terça-feira em Havana após sofrer uma recaída no câncer que foi diagnosticado em julho de 2011 e pelo qual já foi operado em três ocasiões anteriores. Nesta quinta-feira o Governo de Caracas informou que o ex-militar e presidente da Venezuela desde 1999 sofreu complicações na intervenção, mas se recupera bem e seus sinais vitais estão normais. . http://noticias.terra.com.br/mundo/america-latina/saude-de-chavez-leva-o-ateu-jose-mujica-a-igreja,a3c4d385aff8b310VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

As Origens da Vida 90 min

Para Todos Adolescentes Religiosos

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Cristãos americanos ficam furiosos com Papai Noel crucificado

Mary Zenecki, de Leesburg (EUA), ficou furiosa a ver defronte ao prédio da Justiça da cidade um esqueleto vestido de Papai Noel em uma cruz. Em um golpe, ela o derrubou. Antes, vária pessoas já tinham ficado indignadas com o que entenderam ser uma ofensa a Jesus e ligaram para a polícia. Brooke Roger foi uma delas. Ele disse ter ficado satisfeito com a retirada dali do Jesus-Noel. “Espero que nenhuma criança tenha visto.” Jeff Heflin Jr. disse que tinha sido ele o autor do Papai Noel crucificado. Sua intenção, afirmou, foi denunciar o materialismo da sociedade que tem sufocado valores com a bondade e a paz. Ele informou que tinha autorização da administração do prédio para expor o seu Noel. A Justiça confirmou ter dado permissão a Helflin para o uso da área, mas acrescentou que não sabia que se tratava de uma manifestação anti-Natal. Noel ficou pouco tempo na cruz O manifesto de Heflin seria, na verdade, contra a montagem no prédio de um presépio. Recentemente um grupo de ateus tentou impedir a exposição desse presépio com o argumento de que a Constituição estabelece que o espaço público é laico, não se prestando, portanto, ao uso de nenhuma crença. Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2011/12/cristaos-de-cidade-americana-ficam.html#ixzz2EppxsLcY Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem. . http://www.paulopes.com.br/2011/12/cristaos-de-cidade-americana-ficam.html#.UMhlDORLUXA

sábado, 8 de dezembro de 2012

Jean Wyllys chama evangélicos de “fundamentalistas” e “analfabetos funcionais” e causa furor das redes sociais

O deputado federal Jean Wyllys causou furor nas redes sociais ontem, ao comentar as críticas que recebe de pessoas contrárias à sua linha de atuação no Congresso Nacional, em defesa das propostas de ativistas gays. Em uma publicação no Twitter, Wyllys reclamou das menções a ele em tweets enviados por evangélicos que discordam de sua postura, e classificou estes de fundamentalistas e analfabetos funcionais: “Confesso que o mais difícil, nos tweets dos fundamentalistas, é ter de ler a redação típica de um analfabeto funcional… É dose!”. . A publicação foi imediatamente respondida por diversos usuários, incluindo a psicóloga Marisa Lobo, que tem se colocado como uma das principais opositoras às iniciativas de Jean Wyllys: “Vergonha alheia: agora o deputado desequilibrado, boca suja, se fazendo de vítima, acusando todos nós de fundamentalistas religiosos, imbecis , e analfabetos funcionais”, protestou. Marisa Lobo foi seguida por diversos usuários, que criticaram a postura do deputado e sua conduta: “Aquele bigbrotherzinho Jean Wyllys virou o pior da política brasileira! Fora cristofobia”, escreveu o usuário Alexander Dominguez. Foram feitas menções à eleição do deputado Wyllys, que conseguiu o mandato pelo quociente eleitoral de seu partido. Nas eleições de 2010, o ex-big brother conseguiu apenas 13 mil votos, mas ainda assim, foi eleito, devido à grande quantidade de votos obtidas pelo seu partido, o Psol. “13 mil votos… Piada… Por causa dele foi reaberto o debate sobre o quociente eleitoral”, criticou Leandro Vaz. A suposta homofobia de cristãos, que discordam dos princípios defendidos pelo movimento homossexual, foi comparada por um dos usuários com as perseguições religiosas pelo internauta Thiago Polêmico:”105.000 cristãos morrendo por ano, resultado de perseguição. Cristianofobia? Por que não fazem uma lei a favor dos cristãos?” . Em meio a tantos protestos, Wyllys publicou outro tweet, questionando se os protestos contra ele eram justos: “Eu mereço essa gente que dissemina ódio aos homossexuais e às religiões de matriz africana e que não quer oposição a essa estupidez?”. . http://noticias.gospelmais.com.br/jean-wyllys-evangelicos-fundamentalistas-analfabetos-funcionais-45965.html

Drauzio Varella escreve nunca ter visto cura com força do pensamento

Em 40 anos, nunca vi alguém se curar com a força do pensamento. Cometi a asneira de pronunciar essa frase numa entrevista e enfrentei a ira dos que pensam de maneira oposta. A palavra ira, neste contexto, deve ser levada ao pé da letra. Entre os revoltados, não faltou quem me chamasse de organicista, incrédulo, prepotente, defensor de interesses corporativistas e até de imbecil. Dada a riqueza dos adjetivos a mim dedicados, vou explicar o que penso a respeito desse tema. Antes de tudo, deixo claro que não estou em desacordo com a metáfora bíblica de que a fé remove montanhas. Não faltam exemplos de pessoas em situações adversas que, por meio da força de vontade e do empenho em busca de um ideal, realizaram proezas inimagináveis. Concordo, também, que a vontade de viver é de importância decisiva na luta pela sobrevivência. Sem ela, sequer levantamos da cama pela manhã. Nos anos 1970, tive um paciente recém-casado, portador de câncer de testículo disseminado nos pulmões. Haviam acabado de lançar a cisplatina, nos EUA, quimioterápico que revolucionaria o tratamento desse tipo de tumor. Com dificuldade extrema, o rapaz conseguiu dinheiro para a passagem e bateu na porta do Memorial Hospital de Nova York, sozinho, sem falar inglês, com 200 dólares no bolso para custear estadia e um tratamento que não sairia por menos de 20 mil. Voltou para o Brasil três meses mais tarde, curado. Poderíamos dizer que outro em seu lugar, sem a mesma determinação, estaria vivo até hoje? Lógico que não. A fé pode remover montanhas, como reza a metáfora. Mas, aqui se insere a questão do tal pensamento positivo. Os que se revoltaram por ocasião da entrevista, baseiam-se em exemplos como esse para defender a teoria de que eflúvios cerebrais benfazejos têm o dom de curar enfermidades. E é nesse ponto que nossas convicções se tornam inconciliáveis. Para mim, se Maomé não for à montanha, a montanha vir a Maomé é tão improvável quanto o Everest aparecer na janela da minha casa. Insisti com o rapaz para se tratar em Nova York, porque não havia nem há um só caso descrito na literatura de desaparecimento espontâneo de metástases pulmonares de câncer de testículo. Todos os que morreram da doença antes do advento da quimioterapia seriam homens pulsilânimes, desprovidos do desejo de viver demonstrado por meu paciente, portanto ineptos para subjugar suas metástases às custas da positividade do pensamento? A fé nas propriedades curativas da assim chamada energia mental tem raízes seculares. Quantos católicos foram canonizados porque lhes foi atribuído o poder espiritual de curar cegueiras, paraplegias, hanseníase e até esterilidade feminina? Quantos pastores evangélicos convencem milhões de fiéis a pagar-lhes os dízimos ao realizar façanhas semelhantes diante das câmeras de TV? Por que a energia emanada do pensamento positivo serve apenas para curar doenças, jamais para fazer um carro andar dez metros ou um avião levantar vôo sem combustível? Esse tipo de crendice não me incomodaria se não tivesse um lado perverso: o de atribuir ao doente a culpa duplicada por haver contraído uma doença incurável e por ser incapaz de curá-la depois de tê-la adquirido. Responsabilizar enfermos pelos males que os afligem vai muito além de fazê-lo nos casos de câncer de pulmão em fumantes ou de infartos do miocárdio em obesos sedentários. No passado, a hanseníase foi considerada apanágio dos ímpios; a tuberculose, conseqüência da vida desregrada; a AIDS, maldição divina para castigar os promíscuos. Coube à ciência demonstrar que duas bactérias e um vírus indiferentes às virtudes dos hospedeiros eram os agentes etiológicos dessas enfermidades. A crença na cura pela mente e a ignorância a respeito das causas de patologias complexas como o câncer, por exemplo, são fontes inesgotáveis de preconceitos contra os que sofrem delas. Cansei de ver mulheres com câncer de mama, mortificadas por acreditar que o nódulo maligno surgiu por lidarem mal com os problemas emocionais. E de ouvir familiares recriminarem a falta de coragem para reagir, em casos de pacientes enfraquecidos a ponto de não parar em pé. Acreditar na força milagrosa do pensamento pode servir ao sonho humano de dominar a morte. Mas, atribuir a ela tal poder é um desrespeito aos doentes graves e à memória dos que já se foram. http://www.paulopes.com.br/2011/09/varella-diz-nunca-ter-visto-alguem-se.html#.UMLyjORLUXB

Drauzio Varella diz ter aprendido a não questionar magia e crença

Em matéria de corpo humano, a ignorância brasileira é crassa. Nosso currículo escolar devia dedicar mais tempo e atenção à anatomia e à fisiologia, para que as crianças se formassem com conhecimentos mínimos sobre o funcionamento do organismo. Não admitimos que nossos filhos estudem em colégio que não lhes ensine informática. Fazemos questão que se familiarizem com os computadores, sem os quais serão atropelados pela concorrência do futuro, mas aceitamos que ignorem a organização básica da estrutura da qual dependerão para respirar até o dia da morte. Houvesse mais interesse em despertar no aluno a curiosidade de decifrar como funciona essa máquina maravilhosa, que a evolução fez chegar até nós depois de 3,5 bilhões de anos de competição e seleção natural, desde pequenos trataríamos o corpo com mais respeito e sabedoria e não daríamos ouvidos a teorias estapafúrdias, a superstições, ao obscurantismo e à pseudociência que faz a alegria dos charlatães. Entendo que uma pessoa simples e sem instrução diga que fica gripada quando apanha friagem, que engorda por causa da tireoide ou que se queixe: "Sou agitada porque tenho sistema nervoso". O que não consigo compreender é como gente que cursou as melhores faculdades e tem acesso irrestrito à informação de qualidade consegue conformar-se com tanta ignorância em relação ao corpo que a acompanhará pela vida inteira. Gente que diz "eu não faço febre", que ao falar do baço aponta para o lado direito do abdômen, e que convive durante meses com sintomas de doenças graves, sem notar que existe algo errado. Semanas atrás encontrei uma amiga, professora universitária, chocada com o médico que lhe havia receitado um analgésico para aliviar a dor de cabeça que a atacava no período pré-menstrual. "Também, o que se poderia esperar de um cidadão que confessou não saber em que século aconteceu a Revolução Francesa", acrescentou com desdém. Por outro lado, estava encantada pelo naturalista que, em vez de contentar-se em tirar-lhe a dor, como faria qualquer alopata obtuso, propunha tratar a causa da cefaleia com pílulas que corrigiriam o equilíbrio energético do órgão em quem os brasileiros jogam a culpa de todos os achaques: o coitado do fígado. Como os anos me ensinaram a não questionar pensamentos mágicos nem crenças religiosas, juro que ouvi o relato com uma expressão facial tão impassível quanto se me houvessem contado que naquele momento garoava em São Petersburgo. A prudência foi de pouca valia, no entanto; tive que escutar um discurso interminável sobre a superioridade da assim chamada medicina natural e do valor nutritivo dos alimentos orgânicos. Depois de tudo, o epílogo: "Pena que você não acredita nessas coisas". Acreditar? A medicina é um ramo da biologia, ciência que se propõe a estudar os seres vivos e as leis que os regem, não é domínio da crença; não é religião. Quem faria carro andar apenas com a força do pensamento positivo? Invejo os homens que consertam o carro que dirigem. Quebrou na estrada, eles pegam as ferramentas, abrem o capô e reparam o defeito. Para resolver uma emergência dessas é necessário conhecer mecânica, entender como as peças foram engendradas e saber repará-las. Nessa hora, quem acreditaria em medidas alternativas para ativar a energia vital do motor com gotinhas pingadas no tanque de gasolina de duas em duas horas? Alguém faria o carro andar apenas com a força do pensamento positivo? O organismo humano é a estrutura mais complexa que conhecemos -alguns o consideram mais complexo do que o próprio Universo. Estudar os mecanismos responsáveis pela circulação e oxigenação do sangue, pela digestão dos nutrientes, ter uma ideia de como ocorrem as principais reações metabólicas e aprender que nosso corpo é uma máquina que se aperfeiçoa com o movimento é a melhor forma de evitar que ele nos deixe no meio da estrada. Num mundo cada vez mais dominado pela tecnologia, o ensino de ciências deve começar na pré-escola. Aprendendo desde cedo, as crianças incorporarão o pensamento científico à rotina de suas vidas e descobrirão belezas e mistérios inacessíveis aos que desconhecem os princípios segundo os quais a natureza se organizou. . http://www.paulopes.com.br/2011/06/drauzio-varella-diz-ter-aprendido-nao.html#.UMLxOuRLUXA

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Velório de Niemeyer teve hino comunista e menções ao ateísmo

O culto ecumênico em homenagem ao arquiteto Oscar Niemeyer, que encerrou o velório no Palácio da Cidade, na zona sul do Rio de Janeiro, foi marcado pela lembrança ao comunismo, cujo ideário ele seguiu por toda a vida, e ao ateísmo. Foi o pastor luterano Mozart Noronha quem primeiro fez alusão à ausência de profissão de fé religiosa do arquiteto. "Acredito que essa seja a primeira vez em que se reúnem dois padres, um pastor e um rabino para celebrar a alma de um ateu." O religioso ainda leu um poema feito por ele em homenagem a Niemeyer. Em certo trecho, o texto sugere que, ao chegar ao céu, o arquiteto seja homenageado por um coro de anjos cantando a Internacional, hino do comunismo, e que ele chegaria segurando a bandeira com as imagens da foice e do martelo, símbolos comunistas. Já o padre Jorjão afirmou que o mais importante legado do arquiteto está na prática dos ideais de justiça e igualdade defendidos por ele. Ele também fez menção ao ateísmo. Mesmo para os que não acreditam em Deus, afirmou, existe uma luz a ser alcançada, que é "de todos". O religioso lembrou o grande volume de templos projetados por Niemeyer. "Nenhum brasileiro projetou tantas igrejas como Oscar Niemeyer", destacou durante o ritual, acompanhado por parentes e amigos do arquiteto. A responsabilidade política e humana de Niemeyer foram os pontos destacados pelo rabino Nilton Bonder durante a cerimônia ecumênica. Para ele, o grande marco revolucionário do arquiteto foi a defesa destes valores nos quais tanto acreditava. Ao final do culto, foi puxado um coro para cantar a letra da Internacional Comunista. Vários populares, alguns usando blusas com o rosto de Fidel Castro e Che Guevara, cantaram o hino com os punhos fechados direcionados para o alto, outro símbolo do regime político. O corpo de Niemeyer deixou o Palácio da Cidade sob fortes aplausos e foi levado em cortejo para o cemitério São João Batista, onde foi sepultado. Morre Oscar Niemeyer O arquiteto Oscar Niemeyer morreu às 21h55 do dia 05 de dezembro de 2012, aos 104 anos, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, de infecção respiratória. Ele estava internado na instituição de saúde desde o dia 6 de novembro, onde alternou quadros de melhoria e de piora na saúde. Considerado um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna mundial, Niemeyer foi responsável pelas principais obras da construção de Brasília, inaugurada em 1960. Carioca, nasceu em 15 de dezembro de 1907 no bairro de Laranjeiras, no Rio. http://noticias.terra.com.br/brasil/oscarniemeyer/noticias/0,,OI6363391-EI14397,00-Velorio+de+Niemeyer+teve+hino+comunista+e+mencoes+ao+ateismo.html

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Velório de Niemeyer no Palácio do Planalto começa às 15h

O corpo do arquiteto Oscar Niemeyer chegará a Brasília para ser velado no Palácio do Planalto às 14h20 desta quinta-feira, segundo oficiais da Secretaria de Comunicação da Presidência da República. Dilma Rousseff ofereceu o avião presidencial para o transporte do corpo, que deixará o Rio de Janeiro às 13h Da base aérea, o caixão seguirá em carro aberto do Corpo de Bombeiros pelo Eixo Rodoviário de Brasília - um dos traçados iniciais do projeto de Lúcio Costa - e pela Esplanada dos Ministérios, região da cidade com maior concentração de obras assinadas pelo arquiteto. O corpo deverá chegar à sede da Presidência da República às 15h, com cerimônia conduzida pelo grupo de Dragões da Independência. As definições foram acertadas nesta manhã pelo Cerimonial da Presidência. O corpo do arquiteto será velado no salão nobre do Planalto, no segundo andar do prédio, e Dilma deverá participar de um primeiro momento. Horas antes do início do velório, às 11h, o mesmo espaço será usado para o anúncio do plano de investimentos em portos pela presidente. Ela preferiu não adiar, mas o evento deverá ter sua duração reduzida para que a estrutura do evento seja desmontada para o velório. A exemplo do velório do ex-vice-presidente José Alencar, no ano passado, o público deverá ter acesso ao corpo por meio da rampa do Planalto a partir das 16h. O velório seguirá até as 20h. O corpo de Niemeyer retornará ao Rio de Janeiro, onde será enterrado. Morre Oscar Niemeyer O arquiteto Oscar Niemeyer morreu às 21h55 do dia 05 de dezembro de 2012, aos 104 anos, no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro, de infecção respiratória. Ele estava internado na instituição de saúde desde o dia 6 de novembro, onde alternou quadros de melhoria e de piora na saúde. Considerado um dos nomes mais influentes da arquitetura moderna mundial, Niemeyer foi responsável pelas principais obras da construção de Brasília, inaugurada em 1960. Carioca, nasceu em 15 de dezembro de 1907 no bairro de Laranjeiras, no Rio. . http://noticias.terra.com.br/brasil/oscarniemeyer/noticias/0,,OI6359053-EI14397,00-Velorio+de+Niemeyer+no+Palacio+do+Planalto+comeca+as+h.html

Enganação

Oscar Niemeyer, expoente internacional da arquitetura moderna, morre aos 104

O arquiteto Oscar Niemeyer, ícone da arquitetura moderna e um dos brasileiros mais reconhecidos no mundo, morreu nesta quarta-feira (5), aos 104 anos. Ele estava internado há 33 dias no Hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro, por causa de uma infecção urinária. Ele também teve uma infecção respiratória e respirava com a ajuda de aparelhos. Niemeyer foi um dos principais expoentes da arquitetura moderna e projetou o Brasil internacionalmente. O carioca ganhou reconhecimento a partir da exploração das possibilidades plásticas e construtivas do concreto armado, produzindo obras grandiosas e inventivas, marcadas pelo abuso de curvas em detrimento das linhas e ângulos retos. Suas obras --prédios públicos e privados, monumentos, esculturas e igrejas-- marcam a paisagem das principais cidades brasileiras e espalham-se por vários países do mundo, como Estados Unidos, França, Espanha, Alemanha, Itália, Argélia, Israel e Cuba, entre outros. Niemeyer projetou grande parte das obras de Brasília, entre elas a praça dos Três Poderes, os prédios do Congresso Nacional, do STF (Supremo Tribunal Federal) e o Palácio do Planalto. . Em São Paulo, projetou o Memorial da América Latina, o edifício Copan e as construções do Parque do Ibirapuera; no Rio, concebeu o Museu de Arte Contemporânea de Niterói e a Marquês de Sapucaí; em Belo Horizonte, projetou todo o Conjunto Arquitetônico da Pampulha. Gostava de desenhar, e o desenho levou-me à arquitetura. Lembro-me que ficava com o dedo no ar desenhando. Minha mãe perguntava: 'o que está fazendo menino?' 'Desenhando', respondia com a maior naturalidade. O arquiteto desenhou também esculturas e mobílias, escreveu livros e, depois do centenário, lançou até um disco de samba. Marxista convicto, militou no PCB (Partido Comunista Brasileiro) durante várias décadas, mudou-se para a França durante a ditadura militar e manteve amizade com Luís Carlos Prestes e Fidel Castro. Juventude e começo da carreira Niemeyer nasce em 15 de dezembro de 1907 no Rio, filho de Oscar Niemeyer Soares e Delfina Ribeiro da Almeida. Sua família tinha ascendência portuguesa, árabe e alemã. Cresceu no bairro de Laranjeiras, onde se casou com Annita Baldo em 1928. Em 1929, iniciou os estudos na Escola Nacional de Belas Artes, dirigida pelo também arquiteto Lucio Costa, com quem Niemeyer começou a trabalhar em 1932. "Gostava de desenhar, e o desenho levou-me à arquitetura. Lembro-me que ficava com o dedo no ar desenhando. Minha mãe perguntava: 'o que está fazendo menino?' 'Desenhando', respondia com a maior naturalidade. Realmente, fazia formas no espaço, formas que guardava de memória, corrigia e ampliava, como se as tivesse mesmo a desenhar", afirmou o arquiteto, em declaração publicada na página do Instituto Oscar Niemeyer. Em 1934, obteve diploma de engenheiro e arquiteto. Dois anos depois, conheceu o arquiteto modernista Le Corbusier. A obra do francês o influenciou de forma decisiva. . Viajou aos Estados Unidos em 1938 e elaborou o projeto do Pavilhão do Brasil na Feira Mundial de Nova York. Em 1945, ingressou no PCB e iniciou sua amizade com Prestes, a quem na velhice ajudaria a sustentar. "Fui sempre um revoltado. Da família católica eu esquecera os velhos preconceitos, e o mundo parecia-me injusto, inaceitável. A miséria a se multiplicar como se fosse coisa natural e aceitável. Entrei para o Partido Comunista abraçado pelo pensamento de Marx." Regressou a Nova York em 1947, onde participou, ao lado de arquitetos do mundo todo, do projeto da sede da ONU (Organização das Nações Unidas). Em 1950, foi publicada a obra "The Work of Oscar Niemeyer" ("O Trabalho de Oscar Niemeyer"), do arquiteto e historiador grego Stamo Papadaki, que ajudou a divulgar o arquitetura de Niemeyer no exterior. Fui sempre um revoltado. Da família católica eu esquecera os velhos preconceitos, e o mundo parecia-me injusto, inaceitável. A miséria a se multiplicar como se fosse coisa natural e aceitável. Entrei para o Partido Comunista abraçado pelo pensamento de Marx Em 1954, fez sua primeira viagem à Europa, onde conheceu França, Itália, Alemanha, República Tcheca e a União Soviética. No ano seguinte, fundou a revista "Módulo", que circulou, em edições mensais, até 1965, quando sua publicação foi interrompida pelo governo militar "a revista foi retomada em 1975 e editada até 1987. Brasília e golpe militar Em 1956, Niemeyer foi convidado pelo presidente e amigo Juscelino Kubitschek para projetar a nova capital do país e organizar o concurso para a escolha do plano piloto, vencido por Lucio Costa. Dois anos depois, Niemeyer mudou-se para Brasília. "E ali ficamos durante vários anos. Longe de tudo. Cobertos dessa poeira vermelha que durante os períodos de seca se incrustava na pele e, na estação das chuvas, paralisados pelas águas torrenciais que caíam sem controle sobre essa terra sem defesa." Em 1962, foi nomeado coordenador da Escola de Arquitetura da recém-fundada UnB (Universidade de Brasília), após convite do reitor Darcy Ribeiro. No ano seguinte, ganhou o Prêmio Lênin da Paz, concedido pela União Soviética. Em 1964, quando estava em Lisboa, recebeu a notícia do golpe que instaurou a ditadura militar. Retornou ao país no final do ano, após passagem por Israel. "Levei um grande susto com a notícia do golpe. Durante três dias, não descolava o ouvido do rádio, na expectativa de uma boa notícia qualquer. Nada se passava e nós estávamos aflitos, temendo um novo período de opressão e obscurantismo. Foi em abril de 1964", recordou Niemeyer. Em 1965, demitiu-se da UnB assim como outros 200 professores, em protesto contra a influência militar na universidade. Na época, a sede da revista "Módulo" foi parcialmente destruída, e o escritório de Niemeyer, saqueado. Vida no exterior No ano seguinte, Niemeyer viajou a Paris para acompanhar exposição da sua obra no Museu do Louvre. Dois anos depois, impedido de trabalhar no Brasil e depois de os militares embargarem seu projeto para o aeroporto de Brasília, mudou-se para a capital francesa. Em 1968, mudou-se para a Argélia para dedicar-se a vários projetos, a convite do presidente do Conselho Revolucionário Argelino, Houari Boumediène, líder da independência do país. Quatro anos depois, Niemeyer voltou a Paris, abrindo um escritório na famosa avenida Champs-Élysées. No ano de 1975, publicou, em Milão, na Itália, seu primeiro livro ("Oscar Niemeyer"), que traz uma retrospectiva de sua obra e trajetória. Em 1978, de volta ao Brasil, participou da fundação e foi eleito presidente do Cebrade (Centro Brasil Democrático). Em 1988, recebeu o Prêmio Pritzker de arquitetura, e, no ano seguinte, foi condecorado na Espanha com o prêmio Príncipe de Astúrias. Levei um grande susto com a notícia do golpe [militar no Brasil]. Durante três dias, não descolava o ouvido do rádio, na expectativa de uma boa notícia qualquer. Nada se passava e nós estávamos aflitos, temendo um novo período de opressão e obscurantismo. Foi em abril de 1964 Na década de 90, Niemeyer foi premiado com a medalha do Colégio de Arquitetos de Catalunha (em 90), com o Prêmio Leão de Ouro da Bienal de Veneza (em 96) e com a tradicional Royal Gold Medal (em 98), concedida pelo Instituto Real dos Arquitetos Britânicos. No mesmo ano, publicou um livro de memórias: ?As Curvas do Tempo?. Em 1999, lançou sua primeira obra de ficção, "Diante do Nada". Últimos anos A mulher do arquiteto, Annita, morreu em 2004; dois anos depois, Niemeyer casou-se com Vera Lúcia, que era sua secretária. Em 2007, ao completar cem anos de idade, Niemeyer recebeu diversas homenagens e foi tema de muitas exposições e eventos. No ano seguinte, fundou no Rio a revista "Nosso Caminho". Dois anos depois, aventurou-se no mundo da música, com o disco de samba de raiz "Tranquilo com a Vida", gravado em parceria com seu enfermeiro Caio Almeida e com o músico Edu Krieger. Também em 2008 foi inaugurada uma escultura do brasileiro em homenagem ao povo cubano na Universidade de Ciências Informáticas de Havana; um presente de Niemeyer ao líder Fidel Castro. . Em 25 de março de 2011 foi inaugurado em Avilés, na Espanha, o Centro Cultural Oscar Niemeyer, mas o espaço foi fechado nove meses depois, por determinação do governador da província. O fechamento irritou Niemeyer e provocou protestos na cidade. No dia 8 de fevereiro de 2012, em sua última grande aparição em público, o arquiteto acompanhou a inauguração do sambódromo do Rio, que havia passado por reformas de ampliação e adequação da obra ao projeto original. Na ocasião, Niemeyer foi aplaudido por operários da obra e agradeceu: "Estou muito feliz. Essa obra não é só minha, é do grupo que trabalha comigo. Estou muito contente e entusiasmado em ver um trabalho como esse, que foi feito para alegrar o povo." Niemeyer deixa uma filha netos, bisnetos e trinetos. Sua filha, Anna Maria, morreu em junho, aos 82 anos, por complicações decorrentes de um enfisema pulmonar. . http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/12/05/oscar-niemeyer-expoente-internacional-da-arquitetura-moderna-morre-aos-104.htm

Mulher acolhe casal de rua em casa e cria campanha de ajuda no Facebook

Diego Oliveira, de 21 anos, e Kaline Galdino, de 20 anos, hoje têm onde morar, se alimentam todos os dias e conseguem cuidar de sua única filha, Yasmim, nascida há um mês. Quem os vê atualmente, não imagina que o casal já viveu nas ruas de Ribeirão Preto (SP), onde chegou sem emprego e sem documentos. A história dos dois mudou quando cruzou o caminho deles a advogada Roberta Galvão, que os acolheu em sua própria casa e criou uma campanha no Facebook para ajudá-los. Natural de Minas Gerais, Oliveira foi para São Paulo em busca de trabalho e conheceu a esposa, nascida na Paraíba. Sem oportunidades, o casal não tinha onde morar e viveu sem-teto na capital paulista por aproximadamente oito meses. “Nesse tempo de muita dificuldade, que passamos frio, chegamos a passar fome, nós geramos a Yasmim. Então nós resolvemos voltar para Minas, para ter nossa família lá”, conta o jovem. No entanto, eles decidiram se mudar novamente e tentar a sorte em Ribeirão Preto, e acabaram nas ruas mais uma vez. Durante três meses, o casal costumava ir a uma lanchonete na Avenida Nove de Julho e pedir pelo alimento que sobrasse. Foi em uma dessas ocasiões que a sorte deles mudou. “Eu fui pedir um lanche para minha esposa comer, ela estava grávida de oito meses e com fome, e disseram que não tinha sobrado nada. Aí conhecemos a Roberta”, diz Oliveira. Roberta então ofereceu um lanche para os dois e, preocupada com a gravidez de Kaline, decidiu sentar-se com eles e perguntar sobre sua história. “Eles disseram que não tinham documentação e eu fui me envolvendo. Aí chamei um amigo e falei ‘vamos arrumar a documentação para eles’. A preocupação dela [Kaline] era de ter a neném na rua, porque se ela tivesse no hospital, ela não sairia com a filha pela falta de documentos. Isso me assustou demais”, explica a advogada. Enquanto levantava os dados para providenciar os documentos, Roberta descobriu que Oliveira nasceu no mesmo dia que sua mãe e Kaline na mesma data que seu avô. A advogada acredita que a coincidência foi um sinal de que ela deveria ajudá-los e os acolheu em sua casa. “Eu acredito e ela [Roberta] também que foi um sinal de Deus, de que a gente precisava de ajuda. Ela apareceu na hora certa, porque uma semana depois minha filha nasceu”, afirma Oliveira. Levar o casal para viver em sua casa fez com que Roberta fosse questionada por muitos de seus conhecidos, que consideravam a atitude perigosa. “Várias pessoas me disseram: ‘e se eles te matarem?’. Morri então, se é assim que tem que ser. Eu só achei que não tinha como deixá-los na rua. Dizem que eu sou boazinha. Eu não sou boazinha não, acho que isso é obrigação da gente, não quero jogar a minha obrigação para ninguém”, explica. Ajuda Com o nascimento de Yasmim, Roberta decidiu criar uma página no Facebook em busca de mais “madrinhas” e “padrinhos” para conseguir berço e roupas para o bebê. “Como eu não conseguiria sozinha, pedi ajuda pelo Facebook. Hoje somos 260 padrinhos e madrinhas atuantes. Agora, a Yasmim tem uma vida digna, não porque está morando na minha casa, mas porque a mãe e o pai dela estão recomeçando.” Recomeçar é exatamente o plano de Oliveira. “Quero arrumar um emprego, conseguir uma casa para eu morar, ter minha família e construir minha vida aqui em Ribeirão”, diz. . http://g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2012/12/mulher-acolhe-casal-de-rua-em-casa-e-cria-campanha-de-ajuda-no-facebook.html

domingo, 2 de dezembro de 2012

Richard Dawkins - O fato da Evolução

Um dos argumentos cruciais contra a evolução é o seu status como uma mera "teoria", aqui Richard Dawkins corrige esse uso capcioso da expressão e afirma que a evolução está de realmente tão perto de um "fato" como ninguém jamais pensou.

Nova descoberta desafia teorias de formação dos planetas rochosos

Utilizando o telescópio Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA), astrônomos descobriram pela primeira vez que a região exterior de um disco de poeira em torno de uma anã marrom, contém grãos sólidos com tamanhos da ordem de milímetros, comparáveis aos encontrados em discos mais densos situados em torno de estrelas recém nascidas. Esta descoberta surpreendente desafia as teorias de formação dos planetas rochosos do tipo terrestre e sugere que os planetas rochosos podem ser ainda mais comuns no Universo do que o que se esperava. O estudo publicado na revista especializada Astrophysical Journal Letters. Pensa-se que os planetas rochosos se formam a partir de colisões aleatórias e fusão do que são, inicialmente, partículas microscópicas situadas no disco de material em torno de uma estrela. Estes grãos minúsculos, conhecidos como poeira cósmica, são muito semelhantes a fuligem ou areia muito finas. No entanto, nas regiões exteriores em torno de uma anã marrom - um objeto do tipo estelar, mas demasiado pequeno para brilhar como uma estrela - os astrônomos esperavam que os grãos de poeira não pudessem crescer, já que os discos são bastante esparsos e as partículas deslocar-se-iam muito depressa para se poderem fundir após uma colisão. Igualmente, as teorias principais dizem que quaisquer grãos que se consigam formar devem mover-se muito depressa na direção da anã marrom central, desaparecendo assim das regiões mais exteriores do disco, onde poderiam ser detectados. "Ficámos muito surpreendidos ao encontrar grãos de poeira do tamanho do milímetro neste disco pequeno e fino," disse Luca Ricci, do California Institute of Technology, EUA, que liderou a equipa de astrônomos, sediados nos Estados Unidos, Europa e Chile. "Grãos sólidos deste tamanho não deveriam ser capazes de se formar nas regiões exteriores frias de um disco em torno de uma anã marrom, mas aparentemente é o que está a acontecer. Não podemos ter a certeza que um planeta rochoso se forme neste local, ou até que já se tenha formado, mas estamos a ver os primeiros passos deste fenómeno, e por isso mesmo teremos que alterar as nossas suposições sobre as condições necessárias ao crescimento de sólidos," disse ele. A elevada resolução do ALMA comparada com os telescópios anteriores, permitiu também à equipa localizar monóxido de carbono gasoso em torno da anã marrom - é a primeira vez que gás molecular frio é detectado num tal disco. Esta descoberta, juntamente com a dos grãos milimétricos, sugere que o disco é muito mais parecido aos discos que se encontram em torno de estrelas jovens do que o suposto anteriormente. Ricci e colegas fizeram esta descoberta com o auxílio do telescópio ALMA parcialmente completo, situado no deserto chileno a elevada altitude. O ALMA é uma coleção, em crescimento, de antenas de alta precisão, em forma de prato, que trabalham em conjunto, como se de um único telescópio se tratassem, para observar o Universo com imenso detalhe e sensibilidade. O ALMA "vê" o Universo na radiação milimétrica, a qual é invisível ao olho humano. Prevê-se que a construção do ALMA esteja terminada em 2013, mas os astrônomos observam já utilizando uma rede parcial de antenas ALMA, desde 2011. Os astrônomos apontaram o ALMA à jovem anã marrom ISO-Oph 102, também conhecida como Rho-Oph 102, situada na região de formação estelar Rho Ophiuchi, na constelação do Serpentário. Com cerca de 60 vezes a massa de Júpiter mas apenas 0,06 a do Sol, a anã marrom não tem massa suficiente para iniciar as reações termonucleares que fazem brilhar as estrelas. No entanto, emite calor libertado pela sua lenta contração gravitacional e brilha com uma cor avermelhada, embora seja muito menos brilhante que uma estrela. O ALMA coletou a radiação emitida pelo material do disco aquecido pela anã marrom. Os grãos de poeira do disco não emitem muito radiação a comprimentos de onda maiores que o seu próprio tamanho, por isso um decréscimo caraterístico no brilho pode ser medido a comprimentos de onda maiores. O ALMA é o instrumento ideal para medir este decréscimo e deste modo estimar o tamanho dos grãos. Os astrônomos compararam o brilho do disco nos comprimentos de onda de 0,89 mm e 3,2 mm. O decréscimo em brilho de 0,89 mm para 3,2 mm não é tão abrupto quanto se esperava, mostrando que, pelo menos, alguns dos grãos têm um milímetro ou mais de tamanho. "O ALMA é uma ferramenta poderosa para investigar os mistérios dos sistemas planetários em formação," comentou Leonardo Testi do ESO, um membro da equipa de investigação. "Para fazer esta observação com a geração anterior de telescópios, teríamos que ter observado durante praticamente um mês inteiro - o que na prática seria demasiado longo. Mas, utilizando apenas um quarto das antenas do ALMA, pudemos fazer a observação em menos de uma hora!" disse ele. No futuro próximo, o telescópio ALMA completo será suficientemente poderoso para obter imagens detalhadas dos discos em torno da Rho-Oph 102 e outros objetos. Ricci explicou, "Poderemos brevemente detectar, não apenas a presença de pequenas partículas nos discos, mas também mapear como é que elas se distribuem no disco circumstelar e como é que interagem com o gás que também detectamos no disco, o que nos ajudará a compreender melhor como é que os planetas se formam." . http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI6343836-EI301,00-Nova+descoberta+desafia+teorias+de+formacao+dos+planetas+rochosos.html